Alerta Vermelho

Crítica: Alerta Vermelho (Netflix)

3

Misturando comédia, ação e aventura, Alerta Vermelho é um típico filme desta leva de misturebas de gêneros, que caminha e caminha, mas não alcança  lugar algum. No entanto, apesar de toda a sua enrolação para chegar ao ponto certo de sua linha narrativa, esta é uma obra que consegue, em partes, cumprir sua função. Isto porque o longa-metragem diverte tanto que suas quase 2 horas de duração são imperceptíveis.

Em seus pontos positivos é possível destacar a boa dinâmica entre Dwayne Johnson (Jumanji: Bem-vindo à Selva), Ryan Reynolds (Deadpool) e Gal Gadot (Mulher-Maravilha). Os três atores são marcados por filmes de heróis e super produções aventureiras, o que contribui para a experiência deles em sequência de luta. Há também uma boa orquestração dos golpes, que empolgam, e uma decupagem que deixa o espectador acompanhar cada movimentação do trio.

Obviamente, a duração dos planos não é tão extensa assim, como se é de costume em obras deste tipo, porém o diretor Rawson Marshall Thurber (Arranha-Céu: Coragem Sem Limite) emprega tempo suficiente de tela para as relações de disputa de poder das personagens e suas habilidades corporais – ou falta delas – sejam vistas. Além disto, Johnson, Reynolds e, surpreendentemente, Gadot conseguem trabalhar o timing cômico em cada cena, elevando o potencial de um texto um tanto fraco e que procura saídas fáceis para provocar o riso.

Alerta Vermelho

Já em seu lado negativo, o longa peca, principalmente, pela demora de engatar a trama. Como também tem sido bastante recorrente em Hollywood, muitas produções apresentam múltiplos cenários, espalhados pelo mundo inteiro. Com diversos países colocados aqui, resta uma sensação de que a história está sempre começando, o que empaca o seu andamento. A partir do segundo ato, no entanto, o enredo parece deslanchar. Os conflitos passam a ser progressivos e há uma boa dinâmica rítmica, que intercala os momentos engraçados com os de ação e, ainda, consegue investigar um pouco dos relacionamentos entre as personagens principais.

Ainda assim, este ganho qualitativo é irregular e algumas cenas ou diálogos parecem sobrar dentro do contexto geral, como é o caso das longas explicações de Gadot sobre a execução de cada um de seus planos. Estes instantes apenas subestimam o público e não contribuem para o que está sendo contado. Além disso, o desfecho de Alerta Vermelho é um tanto embaraçoso. Os hollywoodianos têm dificuldade em saber como encerrar seus produtos, porém o mais doloroso é quando eles utilizam reviravoltas em seus finais, causando desconforto em quem assiste e uma aguardo infinito para que a sessão termine.

Aqui é exatamente isso que ocorre. Existem, pelo menos, três finalizações do longa, sendo uma delas um gancho para uma possível continuação. Desta maneira, com irregularidades, esta é uma obra que distrai e até faz rir, porém que poderia ter sido melhor executada. Com textos revisados e mais elaborados e uma conclusão menos boba, talvez, houvesse um resultado geral melhor e mais efetivo.

Direção: Rawson Marshall Thurber

Elenco: Gal Gadot, Dwayne Johnson, Ryan Reynolds

Assista ao trailer!

Pin It on Pinterest