Nesta quinta-feira, 27, estreia Turma da Mônica: Laços, em Salvador. Dirigido por Daniel Rezende (Bingo: O Rei das Manhãs), o longa é uma adaptação da graphic novel homônima, do cartunista Maurício de Sousa. Com um clima de aventura instaurado desde o início da projeção, o filme narra a busca de quatro amigos por Floquinho, cachorro de Cebolinha.

Sem grandes surpresas, a narrativa corre seu rumo, entregando um resultado que pode se equiparar a um especial piegas de final de ano. Isto porque a obra passa a sensação de que deseja emocionar forçadamente, utilizando-se repetidamente o zoom in no rosto das crianças nos momentos nos quais elas estão tristes ou brigando. Além disso, quando os atores mirins choram, o tempo de tela cresce consideravelmente. Os closes nos rostos de choro e nos olhos com lágrimas parecem uma eternidade. No entanto, em sua totalidade, a exibição pode ser um momento prazeroso para o público infantil, principalmente pelas piadas sobre comida e amizade.

Pensando em como a criançada também merece curtir uma boa sessão com produções nacionais, o Coisa de Cinéfilo reuniu uma lista com os principais títulos voltados para os pequenos espectadores. Confira!


5 – Castelo Rá-Tim-Bum: O Filme (1999):

Baseado na série homônima da TV Educadora, o filme conta as aventuras de Nino, um jovem bruxo que tem magia, mas fica feliz mesmo depois de fazer amizade com pessoas comuns. Dirigido por Cao Hamburguer (Xingu), o longa tem um clima um tanto mais sombrio que o do seriado, mas a quantidade de aventuras e peripécias continuam as mesmas. O ganho aqui é a construção do universo da bruxaria e a relação do protagonista com sua família e amigos!


4 – Sobre Rodas (2017):

Primeiro longa-metragem do diretor e roteirista Mauro D’Addio, o filme conta a história de dois amigos pré-adolescentes que fazem uma roadtrip de bicicleta, pois buscam encontrar o pai de Laís. A garota nunca o conheceu e conta com a ajuda de Lucas para realizar seu desejo. O menino é cadeirante e, por isso, adapta o veículo no qual fará a viagem e o título da projeção acaba por ganhar múltiplas camadas a partir disto. O ponto alto do longa é a dinâmica entre os dois. Ela funciona porque os atores, Laura Boldorini e Cauã Martins, dão espaço um para o outro atuar e mostram-se presentes e entregues, principalmente na contracena, dando a ideia ao espectador de que eles possuem uma amizade forte. O clima de aventura também é estabelecido de forma bacana, os planos mais abertos, que mostram o caminho cheio de terra e imensidão, contribuem para construir esta atmosfera.


3 – Turma da Mônica em Uma Aventura no Tempo (2007):

Dirigido por Maurício de Sousa e sua equipe, o filme mostra como Mônica e seus amigos Magali, Cascão e Cebolinha embarcam numa viagem no tempo para ajudar Franjinha a consertar o seu invento.  Divertido e com uma trama redonda, o elemento mais positivo do longa é saber transmitir a linguagem e estilo dos quadrinhos, dentro do formato audiovisual. Para quem conhece as personagens e lê/leu as revistinhas, a característica salta ainda mais aos olhos. Os movimentos das crianças na cena e o texto delas são bem fieis ao que se pode encontrar nas revistinhas. Este ganho vem também por Sousa está no comando da direção.


2 – Jonas e o Circo Sem Lona (2015):

Com um protagonista carismático, o público acompanha as alegrias e dificuldades do garoto que sonha em fazer parte de um circo. Com permissão da mãe, ele monta uma lona em seu quintal e diverte-se com seus amigos. O gancho da projeção é a jornada da infância para adolescência e para a vida adulta e como o crescimento transforma as possibilidades de um cotidiano, além de poder afastar ou aproximar as pessoas. Esse caminho, vivido por Jonas, é mostrado de maneira sensível, pela diretora Paula Gomes, que consegue equilibrar os momentos tensos e tristes com os de brincadeira e felicidade. O documentário é uma ótima reflexão para as crianças, pois ela poderá acontecer sutilmente, através de uma narrativa com simplicidade técnica, sem grandes firulas, mas que faze com que o foco fique realmente na história.


1 – O Menino e o Mundo (2013):

Indicado ao Oscar de Melhor Animação, o longa ganhou o notoriedade em seu ano de estreia e circulou por festivais nacionais e internacionais, como o Festival Internacional de Cinema de Munique, na Alemanha ou A Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Contando, de uma forma um pouco menos convencional, as aventuras de um garoto que procura por seu pai, a produção é dirigido por Alê Abreu (Garoto Cósmico). A cineasta carrega em sua filmografia essa característica de possuir filmes cheios metáforas e inseridas em universos lúdicos. Esta é a melhor parte da projeção! Ela pode incentivar a criança a trabalhar a sua criatividade e aproveitar tudo que a cerca.

Pin It on Pinterest