A relação de mães e filhos é constantemente retratada nos cinemas, seja para mostrar o quão lutadoras e dedicadas elas são, para falar das mais atrapalhadas ou até mesmo sobre a ausência delas. De um jeito ou de outro, a construção de relação maternal é muito comum e rende excelentes produções cinematográficas.

O Coisa de Cinéfilo reuniu seis filmes muito bons que falam sobre o cuidado de mães e filhos para comemorar o Dia das Mães! Que tal aproveitar e assistir com a família amanhã?

Confira a lista do nosso Especial Dia das Mães!

Erin Brockovich – Uma Mulher de Talento (2000)

Erin é mãe de três filhos que trabalha num pequeno escritório de advocacia. Ela é constantemente subjugada pelas roupas que usa ou pela criação que dá aos filhos. Passa por cima do machismo estrutural, quando sofre preconceito em uma batida de carro, e vai em busca de sua defesa no caso. Enquanto tenta lutar pelo que é justo, ela se desdobra no cuidado com os filhos, já que é mãe solo e não tem dinheiro sobrando para contratar ajuda. A história de uma guerreira que foi baseada em fatos reais e rendeu à Julia Roberts o Oscar de Melhor Atriz naquele ano.

Mamma Mia! (2008)

E o que falar de Donna no longa Mamma Mia!? Ela, literalmente, dedica sua vida à felicidade da filha, por quem batalhou e defendeu com unhas e dentes desde pequena. Mais um exemplo de mãe solo que cuida da cria sem o suporte dos pais. A personagem é bem humana e com todos os seus defeitos. Mesmo com discussões no meio do caminho, Sophie entende que sua mãe fez tudo o que fez, como omitir a paternidade do pai, por amor. A cena em que Donna cuida dos cabelos de Sophie no dia do casamento é uma das mais bonitas do filme!

Valente (2012)

Na animação Valente, mais uma relação forte de laços entre mãe e filha. A jovem princesa Merida foi criada para ser uma rainha quando crescesse e assumir o trono. Quando é forçada, por sua mãe, a participar de uma competição para escolha de seu futuro marido, a menina se revolta e recorre à uma bruxa, pedindo para que sua mãe mude. No entanto, isso acaba transformando Elinor em uma ursa. O que se sucede é uma busca interminável de Merida pela reversão do feitiço que foi aplicado em sua mãe e tê-la de volta.

Que Horas Ela Volta? (2015)

O foco do filme não é totalmente no relacionamento de mãe e filha. É muito mais sobre as relações sociais no entorno. No entanto, em Que Horas Ela Volta? nós assistimos o poder de abdicação pelo amor ao próximo. Val deixou a filha Jéssica em outro estado e foi para São Paulo para trabalhar e ganhar dinheiro. Ela perdeu o contato próximo com a filha para que pudesse dar a melhor vida que pudesse a ela, pagar bons estudos. A alegria com o retorno da garota, assim como o êxtase quando a mesma passa no vestibular, mostra o sentimento puro de amor e dedicação de Val para com Jéssica. Temos ainda a relação paralela de Val com Fabinho, filho de sua patroa, por quem nutre um amor maternal e cuida como se fosse seu próprio filho. A mensagem que fica é que “abdicar também é um gesto de amor”.

O Quarto de Jack (2016)

O que uma mãe pode fazer pelo seu filho? Para minimizar a dor dele? Para evitar que ele sofra? O Quarto de Jack mostra que o limite é infinito quando se trata do amor de mãe e filho. Joy é uma vítima de sequestro que vive há anos em um cárcere privado. Fruto dos abusos, ela acaba tendo Jack, um garotinho que nunca viu a luz do dia, nem teve contato com outras pessoas, além da mãe e do Velho Nick. Joy então cria um mundo paralelo para que o menino não perceba a situação a que está inserido, contando histórias e inventando personagens. Ela faz o possível para tornar aquele ambiente suportável, e ainda assim, luta para sair daquele lugar e ficar livre com o filho, que é sua força de vida.

Volver (2006)

Fechando a nossa lista, o filme Volver, que apresenta a história de Raimunda, que presencia um crime cometido pela própria filha em legítima defesa, quando o padrasto tentava assediá-la. Ela então luta para livrar a filha da situação, enquanto recebe “visitas fantasmas” da já falecida mãe, que a aconselha das maneiras mais curiosas possíveis. Mesmo sendo uma temática mais pesada, Pedro Almodóvar consegue tornar o filme divertido, mostrando a imagem da mãe guerreira e lutadora.

Pin It on Pinterest