Encanto

Crítica: Encanto

4.2

Estreia esta semana o fofíssimo novo longa da Disney, Encanto. O filme conta a história da extraordinária família Madrigal, que foi encantada num feitiço e cada membro possui um dom diferente. Quando chega a vez da garotinha Mirabel receber o seu poder, todos ficam frustrados quando ela não é abençoada com a magia. Os anos vão se passando e um mistério começa a sondar a família, que vai aos poucos perdendo os encantamentos.

Em um cenário extremamente colorido e alegre, somos apresentados a história da família Madrigal e como surgiu o dom da magia neste núcleo. Cada personagem vai contando a sua história e revelando seus poderes, tudo isso com a narração da simpática Mirabel. Ela é, no entanto, a única da família que não possui um poder e se sente um pouco deixada de lado por isso. A sua frustração se transforma em motivação para estar sempre disponível a todos, ajudando na dinâmica da casa.

O filme vai inserindo desde o começo a comparação que é comum entre parentes e amigos. Como nos colocamos constantemente em uma balança com os outros para tentar validar a nossa importância. A medida que a trama avança, essa máxima vai se descontruindo e mostrando o quão fundamental todos somos para a constituição de nossa família ou da comunidade onde vivemos. Mirabel luta muito com a decepção de “não ser mágica”, até o ponto em que ela percebe que não é preciso um dom para transformar o mundo ao seu redor.

Além dos acertos mencionados, Encanto ainda foca na inclusão de seus personagens. Temos uma protagonista que não é loira (como era usual antigamente), a família tem integrantes de todas as cores, os cabelos são diversos, o foco de Mirabel não é encontrar um marido que preencha a sua vida, etc. Tudo isso vai mostrando a abertura da Disney em mudar o seu repertório e acolher as mudanças necessárias que a sociedade vem estimulando. Foi-se o tempo em que a personagem principal conhecia um rapaz e no mesmo dia já queria casar. Isso, inclusive, é motivo de piada neste longa.

Encanto

Encanto propõe temáticas realista que nos fazer criar laços com a trama e os personagens. A irmã que pensa que seu poder é seu único traço de personalidade, enquanto a outra vive na fachada de filha perfeita, ao passo que deseja transgredir as regras que lhes são impostas. Uma parte que achei bem interessante foi a desconstrução da figura de matriarca perfeita que nunca erra. A avó de Mirabel é a responsável pela magia que surgiu na família e sua força é sempre ressaltada. Ainda assim, o roteiro não se priva de mostrar que ela também erra e comete equívocos. A humanização das personagens é o que torna a história ainda mais amorosa.

A família pode ser, sim, um porto seguro para seus pertencentes, mas pode também ser uma fonte de ansiedade, cobranças, dores e traumas. Ao falar disso de maneira tão cuidadosa, o roteiro desmistifica a ideia de que temos que aceitar a família como ela é, sem questionar ou contrapor as nossas opiniões. O paralelo de que todos temos luz e sombra está presente em todas as cenas do longa, assim como a visão de cada pessoa sobre um mesmo assunto e como isso impacta no resultado final de uma situação.

O longa também apresenta a metáfora de que cada pessoa é um mundo diferente, ao colocar cada ser mágico com seu quarto específico, que é um mundo criado de acordo com suas preferências. Isso nos faz pensar no quanto podemos ser diferentes e conviver pacificamente com as diferenças. Quando cada integrante da família ganha o seu dom, é realizada uma festa dentro de seu quarto mágico e isso representa muito sobre o acolhimento de novas realidades.

Encanto tem uma sintonia de abraço constante. É como se a trama, os personagens e a atmosfera estivesse o tempo todo ao nosso redor, nos invadindo com muito carinho e acolhimento. É uma experiência deliciosa e incrível, que vale para crianças e adultos. O filme mostra que está tudo bem se achar fora do lugar em algum momento, mas é preciso lembrar que todos somos especiais de alguma forma. Músicas lindas envoltas em muita cor e alegria, transformam este longa no melhor lançamento de animação de 2021.

Direção: Byron Howard, Jared Bush, Charise Castro Smith

Elenco: Stephanie Beatriz, John Leguizamo, Wilmer Valderrama, Carolina Gaitán, Maluma

Assista ao trailer!

Pin It on Pinterest