O documentário Sou Carnaval de São Salvador estreia esta semana e é dirigido por Márcio Cavalcante, o mesmo cineasta responsável por Bahêa, Minha Vida – O Filme, que fez sucesso há alguns anos. Neste longa, o foco é na festa momesca, mostrando desde a sua origem, na época dos portugueses, até os dias atuais. Foram cinco anos de filmagens na folia para reunir imagens para este produto final.

Traçando todo um processo desde a origem do termo Carnaval e falando um pouco sobre como a festa foi se tornando cada vez mais popular e conhecida, o documentário traz um apanhado de imagens e reconstituições bem interessantes para a trama. O espectador é envolvido a todo instante com informações novas e curiosidades. O esforço é de mostrar como a festa era e como está agora, na construção bem demarcada de uma linha do tempo. Todo o conteúdo histórico pesquisado é rico e bem esmiuçado pelo diretor.

Principalmente para quem gosta da festa, a experiência do filme é vivencial e engrandece nas telonas. A narrativa envolvente (e por vezes, complacente) do ator baiano João Miguel dá um diferencial importante, principalmente por tratar o Carnaval como um personagem vivo e emocional. É a própria festa que conta a sua história, dando uma roupagem inusitada à narrativa.

Sou Carnaval de São Salvador

O problema, no entanto, reside no fato de que o documentário não problematiza o suficiente. Quando aparece qualquer cena que possa gerar uma discussão sobre o Carnaval, como os catadores de latas, vendedores ambulantes, objetificação da mulher, rapidamente a narração corta e volta a falar sobre o quão maravilhosa é a festa. É como se nenhum dos pontos negativos fossem importantes, porque no final das contas, todo mundo fica feliz.

Esta é a maior dificuldade enfrentada pelo roteiro, que se prende inicialmente à parte histórica (e faz isso muito bem e de maneira aprofundada) e segue para a exposição da “festa da felicidade”, ignorando todos os problemas que são sabidos no Carnaval. A escolha é por repetir diversas vezes o mesmo discurso de “como Salvador é incrível e o Carnaval aqui é o melhor de todos”. Isso acaba tornando o documentário cansativo ao final.

Visto desta forma, Sou Carnaval de São Salvador é um filme para os fãs da festa que vão se deliciar com a ótima seleção de imagens, o rico conteúdo histórico, com a diversão de procurar alguém conhecido na multidão (e encontrar) e com o enaltecimento da folia que toma conta das ruas de Salvador. De um olhar mais analítico, falta aprofundamento nas questões que permeiam a festa e existe uma repetição desnecessária de alguns pontos.

Assista a trailer!

AVALIAÇÃO
2.0Deixe a sua também!
Votação do leitor 0 Votos

Pin It on Pinterest