Bloodshot

Crítica: Bloodshot

Talvez seja presunçoso falar por muitas pessoas, mas eu realmente acredito que ninguém aguenta mais filme genérico de ação estreando nos cinemas. Acrescente a isso Vin Diesel (Velozes e Furiosos 8) no seu mesmo papel de sempre, com camisetas brancas e músculos aparentes, que a situação piora. E entendam: eu adoro Vin Diesel. Sou entusiasta de Velozes e Furiosos, acho ele carismático (o que compensa a atuação, que não é excelente). Mesmo assim, Bloodshot consegue ser tão genérico quanto seu nome.

Um militar americano sofre uma emboscada em que a esposa é usada como chantagem para conseguir informações sobre uma determinada missão. Quando ele não responde, acaba assistindo a morte da amada e ainda é assassinado em seguida. De repente, ele acorda em um laboratório e descobre que foi ressuscitado num projeto experimental. A partir daí, diversos elementos são inseridos na trama para causar alguma tensão.

O problema já começa quando o roteiro é tão genérico que desvendamos ele com 15 minutos de trama. Quando o possível vilão é morto com muita rapidez, a nossa suspeita vira uma certeza, eliminando o ápice que eles querem inserir a seguir. É frustrante ver o quão preguiçoso é o enredo, que coloca cenas de mulheres seminuas desnecessárias, somente para agradar ao público masculino, que deve ir em massa conferir este longa nos cinemas.

Bloodshot

No quesito personagens, a ladeira desce ainda mais. Eles são pouco carismáticos e não geram empatia no espectador. É difícil torcer por alguém que não tem uma construção efetivamente bem feita. Quando vemos que o experimento foi bem sucedido mas implica na tomada de liberdade do indivíduo, pouco nos importamos com ele. Diesel não tem nem a chance de expor seu carisma habitual, nos apresentando uma versão enfurecida de Toretto.

O restante do elenco também não acrescenta à trama. Personagens rasos, sem elementos que atraem, sem propósito. O pior, no entanto, é realmente a história. Essa, sim, é sem propósito. Uma mistura de filme de pura ação com ficção científica, mas errando na medida dos dois. É como se ele pegasse várias tomadas de outros enredos e misturasse em um único lugar, produzindo um Frankenstein em formato de roteiro.

Bloodshot prova o quanto que os estúdios precisam parar de pegar qualquer material original, seja livro, quadrinhos ou jogos, e criar um filme achando que o simples fato de já ter um público fiel é suficiente. Determinadas tramas funcionam muito bem em algumas plataformas, mas são terríveis em outras. Especialmente se não tiver uma adaptação bem feita. Este é justamente o caso.

Direção: Dave Wilson (II)
Elenco: Vin Diesel, Eiza Gonzalez, Sam Heughan

Assista ao trailer!

Pin It on Pinterest