Divertida Mente é a promessa do ano da Pixar e deve chegar ao Oscar

insideout-divertidamente-0002
As emoções Alegria, Tristeza, Nojinho, Raiva e Medo guiam a vida da menina Riley

Já pensou de nossas emoções fossem pequenos seres individuais dentro de nossas cabeças? Pois a Pixar imaginou justamente isso. Com seu poder de criação bastante aflorado, o estúdio conseguiu, mais uma vez, encantar o público com o lançamento de um filme que é uma overdose de criatividade, graciosidade e ensinamentos. Tudo isso não apenas para as crianças, mas para os adultos também.

O longa de animação Divertida Mente conta a história da pequena Riley. A menina de 11 anos está passando por uma grande mudança em sua vida, quando seus pais resolvem mudar de cidade. Enquanto tudo isso acontece, as emoções que habitam sua cabeça ficam confusas e a Alegria e a Tristeza acabam se perdendo da cabine de controle. Agora as duas emoções têm que lutar para conseguir retornar à sala de controle dos sentimentos para recolocar a vida de Riley em ordem.

Só o enredo já é fofo o suficiente para atrair os olhares dos espectadores de plantão. Mas não foram só eles que gostaram. O filme foi ovacionado no Festival de Cannes deste ano, tornando-se uma aposta fortíssima para o Oscar de 2016. O roteiro é composto por três escritores, Pete Docter, Meg LeFauve e Josh Cooley, que conseguiram transpor para as telonas um universo não explorado.

É interessante perceber que o filme tem um lado completamente psicológico. O enredo dá forma, cores e brilho às emoções, que são divididas em Alegria, Tristeza, Raiva, Medo e Nojinho. Cada uma tem um estilo e protagoniza um papel no cérebro da pequena Riley. A questão emocional é muito forte e traz um potencial instrutivo para o longa.

O diretor é ninguém menos que Pete Docter, responsável pela direção de Up – Altas Aventuras e Monstros S.A., e pelos roteiros de Wall-E e Toy Story. Com esse acervo e potencial, o público pode criar expectativas à vontade, pois elas não devem ser frustradas.

Alegria e Tristeza se perdem na sala de controle
Alegria e Tristeza se perdem na sala de controle

Os dubladores também foram muito acertados e prometem entreter muito os espectadores. Na versão legendada, Amy Poehler lidera com a Alegria, seguida de Bill Hader (Medo), Mindy Kaling (Nojinho), Lewis Black (Raiva) e Phyllis Smith (Tristeza). Na dublagem brasileira, Miá Mello, Otaviano Costa, Dani Calabresa, Leo Jaime e Katiuscia Canoro dividem a tarefa.

O filme mostra a necessidade de se ponderar as emoções, não deixando de lado a importância da tristeza, que acaba salvando o dia. É muito corajoso e audacioso, principalmente se tratando de uma animação infantil. Os adultos, no entanto, parece que terão forte identificação com a trama.

Tido como um dos melhores filmes da Pixar, que é responsável por longas de sucesso como Procurando Nemo e Toy Story, Divertida Mente tem tudo para encantar o público e atrair multidões aos cinemas.

Para se ter uma ideia do nível de aceitação do filme, no site Rotten Tomatoes a avaliação está 100%, enquanto no IMDB ultrapassa os 90% de aprovação. Os críticos estão aprovando massivamente o filme, afirmando ainda que é um dos melhores do ano até o momento.

Depois disso, acho melhor comprar sua sessão de cinema antecipada, pois vai ser o maior sucesso!

 

0 Comentários

Deixe um comentário

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Don't have account. Register

Lost Password

Register